top of page
  • Foto do escritorEppurSi - CAFF

A Feira de Estágios da F.D.U.L., a Iniciação à Lucidez e a fabulosa Elis Regina!

Atualizado: 17 de fev.



 



Auxiliamos na (In) Justiça!




No passado dia 28 de Março de 2023, terça-feira, a "Eppur si - Consultoria Análise e Formação Forense, Lda. " esteve presente na Feira de Estágios de Verão da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Foi a primeira vez que a "Eppur si" compareceu num evento desta natureza (ainda só temos 10 meses de vida). Levámos a nossa mensagem e antes do evento tínhamos algumas dúvidas relativamente às jovens mentes que encontrámos. A dúvida era: será que alguma destas mentes não se deixará seduzir por aquilo que vamos apresentar?


O CEO da "Eppur si", a Mensagem e os bolos

Percebemos de imediato que muito mais do que os bolos que se ofertava - não levámos canetas ou blocos de apontamentos com a nossa marca - o que esta maravilhosa gente desejava era ser seduzida, desafiada, confrontada com aquilo que de facto pensam, mas que não têm muita oportunidade de dizer, partilhar e/ou discutir, porque quem com eles interage não oferta abertura para esse saudável exercício intelectual/cultural.

Ansiosos, sequiosos, famintos (mas não de bolos) foi espectacular a adesão por parte dos estudantes da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, e não foram somente os finalistas, também se apresentaram os alunos do Iº, IIº e IIIº ano da Licenciatura de Direito. Fabuloso. Foi como faúlha num palheiro!


Mas o que é que de tão extraordinário ofertou a "Eppur si" aos futuros cidadãos decisores deste nosso belo país?

André Lichnerowicz (1915-1998), físico e matemático francês, professor universitário  que recebeu o Doutoramento Honoris Causa da Universidade de Coimbra em 1985, escreveu: "(...) A nossa actual universidade forma, através do mundo, uma proporção demasiado grande de especialistas em disciplinas predeterminadas, portanto artificialmente delimitadas, enquanto uma grande parte das actividades sociais, como o próprio desenvolvimento da ciência, procura homens [e Mulheres, acrescentamos nós] simultaneamente capazes de um ângulo de visão muito mais lato e de uma focalização em profundidade sobre os problemas, e novos progressos transgredindo as fronteiras históricas das disciplinas. (...)".


A "Eppur si" limitou-se a expor a profunda inadequação entre a compartimentação dos saberes e das disciplinas e a realidade actual que apresenta problemas cada vez mais transversais, globais, polidisciplinares, verificando-se esta realidade a um nível planetário.

Como nos ensina Edgar Morin, a hiperespecialização impede ver o global (que fragmenta em parcelas) assim como o essencial (que dissolve).

A complexidade da realidade, assim como a complexidade do trabalho do Advogado, é um facto, devendo o futuro profissional licenciado em Direito tecer em conjunto os grandes complexos, as interacções e retroacções entre as partes e o todo, as entidades multidimensionais e os problemas essenciais, algo que não consegue alcançar se a sua especialização se fechar sobre si mesma: se assim o fizer, deste modo apenas considerará um aspecto ou uma parte da problemática com que interage e vai, necessária e inevitalmente, falhar!

Hayek (1899-1992) afirmou-o, "ninguém pode ser um grande economista sendo apenas economista".

O nosso Abel Salazar (1889-1946) médico, professor, investigador, pintor, partilhava a mesma opinião relativamente à sua classe profissional: "O médico que apenas sabe Medicina, nem Medicina sabe!"

A "Eppur si", entre outras temáticas, mas tendo esta como mensagem principal, explicou aos seus atentos ouvintes que a percepção é uma tradução reconstrutiva operada pelo cérebro, a partir de terminais sensoriais, e que conhecimento algum se pode passar sem interpretação: trabalhámos exactamente isto, in situ, ao vivo e a cores (como podem ver no pequeno vídeo que acompanha este parágrafo), e eles adoraram porque tiveram a sua Iniciação à Lucidez (com Praxe e tudo).

Tal como Montaigne o fez, as jovens mentes ávidas e insaciáveis aprenderam que a auto-observação faz parte da aprendizagem da Lucidez e que a Iniciação à Lucidez é indissociável da Iniciação à Omnipresença do Erro, assim sendo e porque o sabemos, o que ofertámos, divulgado nos nossos "flyers", foi "aprender a errar melhor e a desenvolver competências"

"Flyer" da "Eppur si" apresentado na Feira de Estágios de Verão da FDUL

Ou seja, apresentámos Métis aos futuros Senhores do Direito!

Métis era filha de Tétis e Oceano na mitologia grega, e era referenciada como deusa da saúde, da protecção, da astúcia e da prudência. O seu nome - Métis - em grego significa "Habilidades".

O que a "Eppur si" garantiu às jovens mentes foi que, estagiando connosco, irão desenvolver a difícil capacidade de errar melhor ao mesmo tempo que adquirem o tipo de inteligência a que os gregos chamavam métis.

Esclarecendo, o "conjunto de atitudes mentais que combinam o faro, a sagacidade, a previsão, a agilidade de espírito, o desembaraço, a atenção vigilante e o sentido de oportunidade."

Imaginem a qualidade técnica e humana deste futuro Advogado!



"Estou convencido"; "Estou convencida"; "Vendido!" ; "O que é preciso fazer para estagiar convosco?" - foi o que mais se ouviu.


Confessamos que não ficámos surpreendidos com a reacção destes jovens alunos, em outros palcos a aceitação e a reação foi semelhante.

O que a "Eppur si" deseja fazer e oferta a quem a nós recorre para formação, melhor se entende através das palavras da personagem fictícia do autor espanhol Antonio Machado (1975-1939), Juan de Marina: "(...) A finalidade da nossa escola é de ensinar a repensar o pensamento, a des-saber o sabido e a duvidar da sua própria dúvida, o que é a única maneira de começar a acreditar em qualquer coisa."

(in, Juan de Marina (sentencias, donaires, apontes y recuperados de un professor apócrifo), Espasa Calpe, 1936).

A propalar o Paradigma...

A mensagem passou? Aderiram à "Causa"? Compreenderam o Paradigma?

Ficaram entusiasmados e apresentaram candidaturas para estagiarem com a "Eppur si" e sujeitarem-se à difícil tarefa de perceberem que uma "cabeça cheia" não é sinónimo de Sabedoria, é apenas sinal de saber acumulado, empilhado e que o que é desejável é possuir uma "cabeça bem feita", que mais do que acumular saberes dispõe de uma aptidão geral para colocar e tratar os problemas e de princípios organizadores que permitem religar os saberes e dar-lhes sentido?

Sim, a mensagem passou e as jovens mentes sedentas de mais, melhor e diferente aderiram ao estágio, apresentando-se de forma original e sedutora (conforme foi solicitado) como se pode verificar pelos exemplos que apresentamos:

Excerto de carta de candidatura

Excerto de carta de candidatura (mesmo indivíduo)

Excerto de carta de candidatura (outro indivíduo)

Cremos que a mensagem passou e que os estagiários aderiram à máxima de Montaigne (1533-1592): mais vale uma cabeça bem feita do que bem cheia!


E a Elis Regina (1945-1982)? O que tem a ver com tudo isto a fabulosa Elis?

Composta em 1976 por António Carlos Belchior (1946-2017) cantor, compositor, músico, produtor, artista plástico e professor brasileiro (como tinha razão o Hayek e o Abel Salazar!) Como nossos pais é uma canção que faz parte do álbum de Elis Regina, Falso Brilhante (1976).

Elis, maravilhosa, oferta-nos um interpretação incrível deste poema túrbido, mas inspirador (se desejarem ver e ouvir: https://www.youtube.com/watch?v=pzEi1TXBny0 )

A certa altura ouvimos Elis cantar:

"Por isso cuidado meu bem

Há perigo na esquina

Eles venceram

E o sinal está fechado prá nós

Que somos jovens"

Mais à frente, hipnotizados pela interpretação:

"Minha dor é perceber

Que apesar de termos

Feito tudo o que fizemos

Ainda somos os mesmos

E vivemos

Ainda somos os mesmos

E vivemos

Como os nossos pais"

Sossegando-nos depois:

"Mas é você que ama o passado

E que não vê

É você que ama o passado

E que não vê

Que o novo sempre vem"


Estes jovens estudantes que a "Eppur si" conheceu na Feira de Estágios de Verão da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, pela disponibilidade mental e intelectual, pela partilha e pela saudável e desejável irreverência, não estão perante um sinal fechado para eles, e, ainda que os nossos pais sejam os melhores do mundo, não são como estes nem pensam da mesma maneira. Estes jovens, o nosso futuro, ofertam-nos elevadas expectativas porque eles são de facto o novo que sempre acaba por chegar!


Quarta-feira, 5 de Abril de 2023, jovens estudantes da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa vão dar continuidade à sua Iniciação à Lucidez, na companhia da "Eppur si" que com toda a certeza vai aprender muito com esta gente jovem reunida!

Estimados, nas instalações da SPASS - Sociedade de Advogados, as cadeiras já estão dispostas à Vossa espera..


1.225 visualizações4 comentários

4 Comments


Guest
Apr 04, 2023

A eppur-si é, mais que uma louvável inovação, um assunto muito sério de inteligência e oportunidade.

Like

mario rodrigues
mario rodrigues
Apr 03, 2023

simplesmente Brilhante.

Parabéns

Like

Guest
Apr 03, 2023

Parabéns, espero que tudo corra bem. Adelino Cunha

Like

Guest
Apr 02, 2023

era Bom que todos os advogados fossem bem formados e que tivessem a humilde de saberem que prescisam de ter

mais formaçäo para melhor fazerem o trabalho com os

clientes

Like
bottom of page