top of page
  • Foto do escritorEppurSi - CAFF

Na Polícia Judiciária falsificaram provas: Tiro na Banheira da Casa de Rosa Grilo (c/ vídeos)

Atualizado: 25 de mar. de 2023



 


Na presente data, 2 de Fevereiro de 2023, quinta-feira, o CEO e Sócio-fundador da "Eppur si - Consultoria, Análise e Formação Forense, Lda.", Dr. João De Sousa, apresentou na Procuradoria-Geral da República DENÚNCIA CRIMINAL, por factos que, no seu entendimento, preenchem tipos penais de natureza pública (cf. artigo 244º do Código de Processo Penal (CPP)), não obstante, caso assim se venha a entender que alguns desses factos consubstanciam tipos penais que carecem da apresentação de QUEIXA, deverá, para esses, ser considerada a presente denúncia também apresentada ao abrigo do artigo 113º n.º 1 do Código Penal (CP), nomeadamente, para que não se verifiquem os efeitos de extinção previstos no n.º 1 do artigo 115º do CP.


A Denúncia criminal foi apresentada contra os indivíduos que delegaram a investigação do processo-crime n.º 3/20.9 GCVFX e deduziram a Acusação, assim como contra aqueles que coordenaram, investigaram e realizaram as perícias forenses constantes no inquérito em apreço.

A explicação para esta acção encontram-na no vídeo supra.


Informamos ainda que o vídeo que a seguir se apresenta foi entregue conjuntamente com a queixa apresentada.

Nele se ilustra o processo de análise das fotos que desde o primeiro momento - aquando da Contestação apresentada -  foram solicitadas pela defesa do Dr. João De Sousa, e que só a 19 de Janeiro de 2023 foram entregues por parte da Polícia Judiciária: acervo completo das fotos realizadas aquando das várias inspecções efectuadas na casa de Rosa Grilo.

Para aqueles que não percebem muito bem o que se ilustra ou que, admissível, de tão chocados se encontrarem após verem o que foi feito e que não conseguem processar de forma válida a informação que estão a receber, esclarecemos claramente:


alguém na Polícia Judiciária falsificou provas/perícias para que o Dr. João De Sousa e a sua co-arguida fossem condenados por crimes que não praticaram!



Vídeo ilustrativo da falsificação da prova (presença do dano na banheira em 2018)

 


Comprovativo da entrada da queixa apresentada na Procuradoria-Geral da República


 


 


4.129 visualizações1 comentário

1 Comment


Amélia Santos
Amélia Santos
Feb 02, 2023

Ao longo de nove anos, a minha família tem sido alvo de uma justiça incompetente, nomeadamente a policia judiciária e o Ministério Público. A procuradora arquivou o processo do meu filho pela terceira vez. A procuradora comprometida em ter falhado no crime de sequestro contra a minha filha e o meu neto, cometido pelo assassino Moisés Bastos Fonseca. Um inspetor do processo do meu filho foi um homem que nos torturou e maltratou muito. Hoje estou convicta que alguém tem feito de tudo pata dificultar o processo. Estou disposta a tudo para denunciar tudo. O processo do meu filho é dos mais vergonhosos. Muitos erros grosseiros que nunca foram corrigidos. O ultimo é do CIC, aonde o meu filho foi…

Like
bottom of page